Prisioneiros de um Personagem

Milton Gonçalves acaba de ingressar no elenco de “Insensato Coração”, no papel de Gregório, pai de André (Lázaro Ramos). Vale lembrar que o ator já interpretou o pai de Taís Araújo – mulher de Lázaro na vida real – em “A Favorita” (08/09).

Milton Gonçalves

Milton Gonçalves e Lázaro Ramos: pai e filho em “Insensato Coração”

O veterano ator costuma ser chamado para encarnar “o pai de família”, ou “o policial honesto e íntegro”, seja na TV ou no cinema. No segundo quesito, figuram atuações em “Carandiru” (filme e série de TV) e na série de TV “Força Tarefa” (09/10). No momento atual, o ator pode conseguir mudar o padrão – afinal, o pai do mulherengo André não tem nada de honesto, e vai até propôr a Carol (Camila Pitanga) um golpe no próprio filho.

Milton

Milton Gonçalves em “Força Tarefa” e como pai de Taís Araújo em “A Favorita”

Mas a verdade é que, desde o início da TV, o universo da teledramaturgia tem o hábito de estereotipar atores e atrizes. Muitas vezes trabalhando com arquétipos, as novelas tendem a rotular os profissionais em tipos: o vilão, a mocinha sofredora, o palhaço, o chefão, a gostosa… Alguns conseguem se livrar dos estigmas, mas nem todos.

O fenômeno acontece até mesmo com atores cujo talento é um fato consumado. É famoso o caso de Regina Duarte, rotulada como a “Namoradinha do Brasil” nos anos 70, devido a seus papéis de heroínas românticas em novelas como “Minha Doce Namorada” (71/72), “Selva de Pedra” (72/73) e “Carinhoso” (73/74). Para se livrar do rótulo, Regina lutou durante alguns anos, buscando personagens fora desse padrão, e só conseguiu ao estrelar o seriado “Malu Mulher” (79/80).

Regina Duarte

Regina Duarte com Francisco Cuoco em “Selva de Pedra”, e libertando-se da imagem de boa moça em “Malu Mulher”

Atualmente, acontecem casos semelhantes, de atores e atrizes que acabam sendo rotulados em tipos, e fazem o mesmo papel, trabalho após trabalho. Confira uma seleção dos campeões da categoria.

Deborah Secco

Deborah Secco como Darlene em “Celebridade” e como Natalie em “Insensato Coração”, com Herson Capri

Deborah Secco – A mulher sensual interessada em dinheiro e/ou fama. Desde que modificou seu visual, adotando o look “mulher fatal” – logo após a novela “Suave Veneno” (99) -, Deborah especializou-se nesse tipo de papel. Foram duas exemplares em novelas de Gilberto Braga: a transtornada Darlene de “Celebridade” (03/04), que queria fama a qualquer preço, e a atual Natalie Lamour, ex-BBB, que também quer luxo, riqueza e fama, em “Insensato Coração”, no ar às 21h. No cinema, ela também está em cartaz, como a prostituta “Bruna Surfistinha”, que também pode ser considerada uma variação do gênero.

José Mayer

José Mayer e suas conquistas: Deborah Secco em “Laços de Família”, Natália do Valle em “Páginas da Vida” e Giovanna Antonelli em “Viver a Vida”

José Mayer – O galã maduro, que “pega” todas as mulheres das novelas de Manoel Carlos. Apesar de seus 61 anos de idade, Mayer continua encarnando o ícone das mulheres no mundo ensolarado do autor global. Em “História de Amor” (95/96), ele “pegou” Helena (Regina Duarte), Paula (Carolina Ferraz) e Sheyla (Lília Cabral). Em “Laços de Família” (00/01), ficou com Helena (Vera Fischer), Cíntia (Helena Ranaldi) e Íris (Deborah Secco). Em “Mulheres Apaixonadas” (03), foi a vez de Helena (Christiane Torloni), Luciana (Camila Pitanga) e Laura (Carolina Kasting). Em “Páginas da Vida” (06/07), ficou com Carmen (Natália do Valle) e Sandra (Danielle Winits). E por fim – haja fôlego -, em “Viver a Vida” (09/10), o incansável galã se envolveu com Helena (Taís Araújo), com a ex-mulher Tereza (Lília Cabral) e com Dora (Giovanna Antonelli).

Marisa Orth

Marisa Orth: Magda em “Sai de Baixo”, Michelle em “S.O.S. Emergência”

Marisa Orth – A gostosa engraçada, trapalhona e/ou burra. A hilariante atriz interpretou a ninfomaníaca Nicinha em “Rainha da Sucata” (90), aquecendo para o sucesso explosivo de Magda, do humorístico “Sai de Baixo” (96/02). Depois que o programa terminou, Marisa encarou outras personagens parecidas com Magda: a dona-de-casa Rita e a Dra. Michelle, ambas também oriundas de humorísticos: “Toma Lá Dá Cá” (07/09) e “S.O.S. Emergência” (10), respectivamente.

Lima Duarte

O Sinhozinho Malta de “Roque Santeiro” inaugurou a série de chefões de Lima Duarte, que inclui Viriato em “Desejo Proibido” e o Max de “Araguaia”

Lima Duarte – Coronel ou fazendeiro, figura autoritária de regiões do nordeste, sertão ou interior do Brasil. Com o estrondoso sucesso de Sinhozinho Malta em “Roque Santeiro” (85/86), Lima especializou-se em fazer figuras semelhantes. Chefões de fazendas ou sertões, com um lado folclórico e engraçado, mas tirânicos. Foram vários: Murilo Pontes em “Pedra Sobre Pedra” (92), Major Bentes em “Fera Ferida” (93/94), Viriato em “Desejo Proibido” (07/08), e o atual Max de “Araguaia” (10/11), no ar às 18h.

Deborah Evelyn

Deborah Evelyn: a eterna esposa chata e neurótica, em “Celebridade”, “Páginas da Vida” e “Insensato Coração”

Deborah Evelyn – A mulher casada, chata e controladora, que atormenta a vida do marido e dos filhos (ou filhas), nervosa e/ou histérica. Apesar de seu comprovado talento, demonstrado em trabalhos como “A Gata Comeu” (85), “Anos Rebeldes” (92) e “A Muralha” (00), ultimamente Deborah vem caindo no mesmo papel: a esposa insuportável e neurótica, que leva o marido ao tédio e ao divórcio. Foi assim com a Beatriz de “Celebridade” (03/04), a Ana Maria de “Páginas da Vida” (06/07), e a atual Eunice de “Insensato Coração” (10).

Marcos Pasquim e Humberto Martins

Marcos Pasquim e Humberto Martins: descamisados em “Kubanacan”

A categoria “Machos Sem Camisa” é um outro filão que abriga vários atores da Globo. Os mais famosos desse naipe são Marcos Pasquim e Humberto Martins – que reinam em trabalhos do autor Carlos Lombardi, onde costumam exibir os torsos – ou até mais do que isso – nus.

Pasquim fez essa linha em “Uga Uga” (00/01), “O Quinto dos Infernos” (02), “Kubanacam” (03/04) e “Pé na Jaca” (06/07), entre outras. Humberto Martins inaugurou o gênero e se consagrou em “Pedra Sobre Pedra” (92), “Quatro por Quatro” (94/95), “Vira-Lata” (96), “Corpo Dourado” (98), “Uga Uga”…

Laura Cardoso em “A Viagem”, “Como uma Onda” e “Caminho das Índias”: Senhoras rabugentas

Laura Cardoso – “Velhinha” do mal. Para encerrar, a grande atriz Laura Cardoso, de talento inquestionável. Na TV, porém, ela costuma fazer personagens parecidos, com um pé na maldade ou na amargura – “velhinhas” simpáticas e às vezes até engraçadas, mas com um lado diabólico. Isaura, a mãe das gêmeas Ruth e Raquel em “Mulheres de Areia” (93) era assim. A Guiomar de “A Viagem” (94) também, assim como Ruth, de “Salsa e Merengue” (96/97), Francisquinha de “Como uma Onda” (04/05), e a rabugenta Laksmi de “Caminho das Índias” (09/10). O que vale é assistir ao show que a atriz deu em cada uma dessas personagens.

Fonte: Ig Gente

About

One thought on “Prisioneiros de um Personagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *