Por que o Gaúcho usa Tu

TU

No curso preparatório de ingresso à magistratura, o professor insiste na necessidade de que os escritos sejam claros, objetivos e não empolados. No final da aula, para descontrair, pergunta aos alunos se eles sabem a diferença entre o “tu” e o “você”.

Há muitas respostas. Nenhuma delas exatamente a desejada pelo professor. Este, então, exemplifica bem a diferença.

O diretor geral de um banco, está preocupado com um jovem e brilhante diretor, de formação jurídica, que depois de ter trabalhado durante algum tempo junto dele, sem parar nem para almoçar, começa a ausentar-se ao meio-dia, celular desligado, vários dias da semana.

O banqueiro chama um detetive privado do banco e diz-lhe:

– Siga o diretor fulano durante cinco dias úteis… quero ter certeza de que ele não anda fazendo algo sujo.

O detetive, após cumprir o que lhe havia sido pedido, volta e informa:

– O diretor fulano sai normalmente ao meio-dia, pega seu carro, vai à sua casa almoçar, fica fechado mais de uma hora com sua mulher, fuma um dos seus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho.

O banqueiro então se tranquiliza:

– Ah, bom, assim. Não há nada de mal nisso.

Logo em seguida, o detetive, querendo fazer se entender melhor, pergunta:

– Desculpe. Posso tratá-lo por tu?

– Sim, claro – responde o banqueiro um tanto constrangido.

– Bom então vou repetir – diz o detetive.

Vem, então, a frase reveladora:

– O diretor fulano sai normalmente ao meio-dia, pega teu carro, vai à tua casa almoçar, fica fechado mais de uma hora com tua mulher, fuma um dos teus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho. É assim!…

A língua portuguesa é muito traiçoeira, e só o gaúcho a usa corretamente!

Fonte: Netos de Salim

About

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *