Bola de Prata é a Mais Democrática desde 1980

A premiação da Bola de Prata, oferecida pela revista Placar em conjunto com a emissora ESPN, comprova o equilíbrio do Campeonato Brasileiro de 2011. Na segunda-feira (05/12), em evento realizado no Museu do Futebol, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, nove clubes diferentes tiveram jogadores na seleção eleita da competição – os únicos que tiveram mais de um atleta foram o Corinthians (campeão nacional) e o Vasco (vice).

Ao final de 38 rodadas do campeonato, a melhor equipe acabou formada por: Fernando Prass (Vasco); Mário Fernandes (Grêmio), Dedé (Vasco), Paulo André (Corinthians) e Juninho (Figueirense); Paulinho (Corinthians), Marcos Assunção (Palmeiras), Ronaldinho (Flamengo) e Montillo (Cruzeiro); Neymar (Santos) e Fred (Fluminense).

bola-prata-vencedores

O prêmio, oferecido há 41 anos, não tinha tantos clubes com jogadores entre os vencedores desde 1980. Naquela oportunidade, o Flamengo foi o campeão nacional batendo o Atlético-MG e o time eleito pela revista contou com: Carlos (Ponte Preta); Nelinho (Cruzeiro), Joãozinho (Santos), Luizinho (Atlético-MG) e Júnior (Flamengo); Toninho Cerezo (Atlético-MG), Batista (Internacional), Sócrates (Corinthians) e Botelho (Desportiva Capixaba); Baltazar (Grêmio) e Mário Sérgio (Internacional).

O dado realça o equilíbrio do último Brasileiro, que acabou definido apenas na última rodada, neste domingo. O Corinthians teve o zagueiro Paulo André e o volante Paulinho condecorados, número inferior ao das três conquistas nacionais mais recentes. Em 2005, contou com o goleiro Fábio Costa, o volante Marcelo Mattos e o atacante Tévez; em 1999, com o goleiro Dida, os volantes Rincón e Vampeta e o meia Marcelinho Carioca. Já em 1990 a equipe de Parque São Jorge também só teve dois: o goleiro Ronaldo e o zagueiro Marcelo.

Já o Vasco, que brigava pelo título até empatar por 1 a 1 com o Flamengo no domingo, foi representado na festa pelo goleiro Fernando Prass e pelo zagueiro Dedé. Todos os premiados se dirigiram ao Pacaembu para receber a honraria, à exceção do lateral direito Mário Fernandes, do Grêmio, e do atacante Fred, do Fluminense.

Em toda a história, a única vez em que dez equipes escalaram atletas na seleção da Bola de Prata foi em 1972, quando o Palmeiras superou o Botafogo na decisão e os jogadores condecorados foram: Leão (Palmeiras); Aranha (Remo), Figueroa (Internacional), Beto Bacamarte (Grêmio) e Marinho Chagas (Botafogo); Piazza (Cruzeiro), Ademir da Guia (Palmeiras), Zé Roberto (Coritiba) e Osni (Vitória); Alberi (ABC) e Paulo César Caju (Flamengo). Jamais 11 times diferentes figuraram na premiação.

bola-prata1

Além das 11 Bolas de Prata por posição, outros dois prêmios especiais foram entregues na cerimônia no Museu do Futebol – ambos para atletas do Santos. Neymar ficou com a Chuteira de Ouro, que premia o maior goleador da temporada no futebol brasileiro, totalizando três troféus no dia.

bola-prata2

Borges recebeu uma Bola de Prata por ter sido o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 23 gols.

Fonte: Terra

About

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *